"FALTOU BOM SENSO, SOBROU INTOLERÂNCIA", postou site TV Itanhém sobre paralisação dos professores em Itanhém

 

Por ItanhemFest

O portal de noticias Tv Itanhém postou na manhã deste sábado uma matéria onde dizia  "FALTOU BOM SENSO, SOBROU INTOLERÂNCIA", sobre a paralisação dos professores na última semana, mesmo o secretario de educação Álvaro Pinheiro em reunião com professores e diretoria da APLB, e também em nota de esclarecimento (Veja aqui) falou o motivo porque o salário ainda não estava na conta. Mas deixou claro assim como o salário e também primeira parcela do 13ª estaria na conta no dia 8 de dezembro, mesmo assim houve a paralisação em algumas escolas.

Veja na integra a matéria postada pelo site TV Itanhém.

Em qualquer sociedade que zele pelo cumprimento do seu estatuto tem o dever do pleno conhecimento do mesmo. No entanto, quando as intenções tem conotações voltadas para a discriminação, para a intolerância e picuinhas fica visível o não comprometimento com o bem estar de uma sociedade e sim a defesa do próprio individualismo. Foi assim acontecido na última paralisação dos profissionais da educação de Itanhém. A Lei, sobretudo garante o direito de greve desde que se esgote a força do diálogo e mais, as assembleias precisam ter 50% mais um para daí ser colocada em votação a probabilidade de paralisação. Diante disso, assistimos boquiabertos o equivoco de uma maioria presente que não representava a maioria dos associados e a prova cabal disso foi que a maioria das escolas dos distritos não aderiram ao movimento. Outro questionamento é que mesmo com o dialogo estabelecido com a gestão em dias anteriores, mesmo com o secretário da educação indo até a reunião da assembleia e dando explicações e garantindo o pagamento dos proventos a categoria opinou em prejudicar a comunidade, sabedores que são dos danos quando se paralisa a máquina do saber optaram pelo inconveniente. Todas as gestões do Extremo Sul baiano tem expressado essa dificuldade financeira."Na gestão anterior os pagamentos dos profissionais da educação sempre estavam sendo efetuados com atrasos e nunca aconteceu greve por esta circunstancia. Houve sim paralisação por outros questionamentos, tenho provas disso com todos os meus contracheques guardados”, disse uma professora que não concordou com a paralisação. Pelas ruas da cidade os pais sem informações demostrava toda uma preocupação pela falta de comunicação."Foi tão repentina essa greve que agora terei que reprogramar a viagem da família”, disse uma mãe a nossa reportagem. Sete escolas do município não aderiram a paralisação e a comunidade agradece. Já na sede, não temos certeza da qualidade da reposição desses dias parados. Cabe agora ao órgão fiscalizador fazer jus a sua função no cumprimento da legitimidade educacional, no caso o COMEDI (Conselho Municipal de Educação de Itanhém) juntamente com a coordenação. Quanto a validação de aulas aos sábados os pais e gestão precisam ficar atentos para que não seja mais uma operação tapa buraco incidindo negativamente na aprendizagem dos educandos. Novamente cabe o bom senso invés da intolerância.

Conforme o prometido pelo secretário de educação Álvaro Pinheiro, o pagamento já se encontra em conta, disponível para saque, inclusive a gestão colocou um carro de som pelas ruas da cidade nesta sexta-feira (08/12) informando o depósito do mesmo, resta saber se a APLB, sindicato dos profissionais da educação vai cumprir a sua parte colocando também em carro de som o aviso do retorno ou a permanência pela paralisação.



Notícia Postada em 09/12/2017
Comente esta notícia: