Animais na pista é a segunda maior causa de acidentes automobilísticos nas rodovias baianas

 

Acidentes envolvendo veículos e animais ocupam o segundo lugar no ranking das principais ocorrências de trânsito nas estradas estaduais, de acordo com relatório do Sistema de Estatística de Acidentes de Trânsito (Sider).

De janeiro a outubro deste ano, a Superintendência de Infraestrutura de Transportes (Seinfra-SIT) contabilizou 426 acidentes nas estradas da Bahia. Este tipo de ocorrência perde apenas para aquelas provocadas por falta de atenção.

Desse total, cerca de 28 vítimas tiveram ferimentos graves e nove vieram a óbito. O número de acidentes em 2016 já se aproxima do contabilizado no ano passado, quando foram registradas 525 ocorrências.

O perigo se repete nas estradas federais que cortam a Bahia. De acordo com a assessoria de comunicação da Polícia Rodoviária Federal (PRF), de janeiro a setembro de 2016, foram registrados 158 acidentes envolvendo animais que vagavam pelas rodovias.

As vias federais do norte do estado, segundo a PRF, são as que mais oferecem risco aos motoristas por causa da grande quantidade de  animais, como jumentos, que têm baixo valor comercial e que, na maioria das vezes, já nasceram na via pública e nunca foram propriedade de ninguém.

Em números absolutos, a BR-101 é a campeã em quantidade de ocorrências deste tipo. No extremo sul, por exemplo, as ocorrências são quase semanais nessa e em outras rodovias. O trecho considerado mais perigoso pelos motoristas é o que compreende Itabatã, em Mucuri, até Teixeira de Freitas, onde cinco eqüinos foram recolhidos pela PRF somente no final da semana passada. (Da redação TN)



Notícia Postada em 25/10/2016
Comente esta notícia: