Polícia Civil pede prisão dos assassinos do fazendeiro de Itanhém

Segundo ficou apurado até agora, os autores do crime são o policial aposentado Antônio Carlos Borges da Silva, vulgo “sargento Borges”, um comparsa ainda não identificado e os irmãos Márcio Sena Santos e Kássio Sena Santos, todos com prisão preventiva decretada pela justiça.

 

O Delegado-chefe da 8ª Coordenadoria Regional da Polícia Civil no extremo sul, Dr. Nélis Araújo assumiu a presidência do inquérito policial que apura o assassinato do fazendeiro de Itanhém, Luiz de Jesus São Leão, o “Luiz Tomaz”, 75 anos, abatido a tiro de escopeta no interior da sua propriedade rural localizada no próprio município. O delegado coordenador Nélis Araújo convencido das versões mediante intensas investigações acontecidas nas últimas horas, representou na justiça pela prisão de pelo menos cinco pessoas envolvidas no assassinato do fazendeiro, entre elas, está um sargento da Polícia Militar e um fazendeiro que teria sido o mandante do crime. A vítima era um dos maiores produtores rurais do município de Itanhém, executado por volta das 12h30min de quarta-feira do último dia 31 de outubro, na companhia de empregados em meio a uma mata da sua fazenda. O fazendeiro estava junto com outros quatro trabalhadores na sua roça aguardando o almoço, quando teria aparecido um automóvel Volkswagem Gol conduzido pelo sargento PM Antônio Carlos Borges da Silva, que acompanhado de outros três indivíduos, teriam raptado Luiz Tomaz, o colocando no porta-malas do veículo, seguindo em direção a uma outra fazenda próxima, momento em que um dos filhos do aposentado, que trazia o almoço, ainda pôde presenciar a cena de seqüestro de seu pai. Alguns minutos depois ouvia-se alguns disparos de arma de fogo vindo de dentro do mato. O filho voltou para a sede da fazenda para chamar os outros irmãos, que juntos passaram a procurar o pai. Luiz Tomaz não foi encontrado. A família pediu ajuda a outras pessoas, que depois de mais de 8 horas de busca conseguiram encontrar o corpo alvejado com mais de 13 perfurações. Próximo ao corpo do senhor Luiz Tomaz foram encontradas uma cápsula de escopeta calibre 12 e marcas de rajada de balas nas árvores. Nos últimos 90 dias, Luiz Tomaz vinha sofrendo ameaças de morte, o que fez com que ele procurasse o major Aílton Batista, da 44ª Companhia de Medeiros Neto, o antigo juiz de Itanhém Eduardo Padilha, o Ministério Público, a Delegacia, o comando do Pelotão da Polícia Militar local, mas não teve jeito e terminou sendo assassinado. Suspeita-se ainda que o quarto homem envolvido no crime seja um outro policial militar e a cidade de Itanhém se encontra chocada. Muitos questionam também o fato de a Delegada de Itanhém não querer dar importância ao crime, que já ganhou repercussão regional. Natural de Baixa Grande (BA), Luiz São Leão tinha 75 anos, 11 filhos, 26 netos e residia na fazenda Nova Esperança, Curvelo da Conceição, povoado pertencente a Itanhém. Segundo ficou apurado até agora, os autores do crime são o policial aposentado Antônio Carlos Borges da Silva, vulgo “sargento Borges”, um comparsa ainda não identificado e os irmãos Márcio Sena Santos e Kássio Sena Santos, todos com prisão preventiva decretada pela justiça. O motivo do assassinato teria sido uma encrenca de terras que já dura mais de 20 anos, envolvendo a família da vítima e o fazendeiro Zenon da Silva Santos. Ao local compareceu o grupo “Força de Reação”, comandado pelo delegado regional Nélis Araújo, que encontrou um cartucho de escopeta nas imediações da localização do corpo, constatando a evidência de vários disparos nas árvores próximas de onde estava a vítima. A equipe se deslocou até a sede da fazenda dos acusados e lá apreenderam uma escopeta, um rifle calibre 22 e um revólver calibre 38, assim como 21 cartuchos de calibre 12 carregados que foram apreendidos e encaminhados ao Departamento de Polícia Técnica para serem periciados a fim de confirmar ou não se o tiro que atingiu Luiz Tomaz partiu da escopeta apreendida. Por Teixeira News com informações do Jornal Alerta

Notícia Postada em 05/11/2007
Comente esta notícia: