Após acusação de pedofilia, Neto LX avisa que processará Robyssão

 

Por Júlia Belas O cantor Robyssão terá que enfrentar Neto LX na Justiça. Depois de insinuar que o cantor de "Gordinho Gostoso" seria pedófilo, o ex-Black Style terá que enfrentar "medidas cíveis e criminais", de acordo com comunicado divulgado pela assessoria do ex-Luxúria. Na nota, o cantor nega o envolvimento com o crime de pedofilia e classifica as acusações como "infundadas e levianas", além de apontar que a fala pode ser enquadrada "como crime de injúria e difamação". O líder do Bailão do Robyssão ainda não se pronunciou sobre o assunto. Veja o comunicado da assessoria de Neto LX na íntegra: "Em resposta às recentes declarações feitas pelo cantor Robyssão e veiculadas na mídia, o cantor Neto LX vem, através da sua assessoria de imprensa, repudiar veementemente o teor das mesmas, negando qualquer envolvimento com o crime de pedofilia. O cantor informa ainda, através da sua assessoria, que tomará todas as medidas cíveis e criminais contra as infundadas e levianas acusações, uma vez que as mesmas podem ser enquadradas como crime de injúria e difamação." Declaração: Me disseram que ele é pedófilo', diz Robyssão sobre o cantor Neto LX por Bruno Luiz Em uma participação nas transmissões do carnaval da TV Aratu desta terça-feira (17), o cantor Robyssão deu declarações polêmicas. Quando perguntado pelos apresentadores Daniela Prata e Alex Lopes sobre o que ele achava do cantor Neto LX, o líder do grupo “Bailão do Robyssão” disse ter ouvido de pessoas próximas ao dono do sucesso “Gordinho gostoso” que ele “gosta de criança”. “Eu não dormi com essa conversa. Três pessoas me falaram que ele gosta de criança, inclusive, uma pessoa que trabalha com ele. Me disseram que ele é pedófilo. Não sou eu que estou afirmando, foi o que me disseram”, afirmou Robyssão. O cantor ainda disse que acha Neto LX um ótimo cantor, mas que acredita que o sucesso dele é efêmero. O pagodeiro tocou em outra polêmica: a canção lançada por ele, “Quem banca é o viado”, que gerou a revolta do Grupo Gay da Bahia (GGB). Ele afirmou que a música não é relacionada aos homossexuais. “Eu falei que a música não é direcionada aos homossexuais. É direcionada aos oportunistas. Só que vieram me chamar de homofóbico”, ressaltou. Bahia Noticias

Notícia Postada em 19/02/2015
Comente esta notícia: