Acusado de intermediar propina na Petrobras deve depor à Polícia Federal

 

Um dos investigados na nona fase da Operação Lava Jato deve prestar depoimento nesta segunda-feira (9) na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Mário Frederico Mendonça Goes se entregou neste domingo (8) à Polícia Federal e deve ser interrogado pelos delegados sobre as acusações de intermediar, por meio da empresa Arxo Industrial, o pagamento de propina na obtenção de contratos com a Petrobras. Ele estava foragido desde quinta (5), quando teve prisão decretada, mas não foi encontrado em seu endereço no Rio de Janeiro. Segundo o Ministério Público Federal, Goes operava um esquema de corrupção na Petrobras usando a mesma forma de atuação do doleiro Alberto Youssef e do empresário Fernando Baiano: recolhendo propina de empresas privadas para agentes da estatal e ocultando a origem dos recursos. De acordo com os investigadores, Gilson João Pereira e João Gualberto Pereira, sócios da Arxo, e Sergio Ambrosio Marçaneiro, diretor financeiro, pagavam propina para obter contratos com a BR Distribuidora. Todos estão presos na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Os pagamentos ocorreriam em contratos com a BR Aviation, empresa da Petrobras especializada no abastecimento de aeronaves. A Arxo vende tanques de combustíveis e caminhões-tanque. Para a defesa, as acusações decorrem apenas de vingança da ex-funcionária do Departamento Financeiro, demitida por desviar cerca de R$ 1 milhão. Bahianoticias

Notícia Postada em 09/02/2015
Comente esta notícia: