Trabalhadores dormem em filas para atendimento no Sac e Sinebahia

 

Se perder o emprego é uma das piores experiências que um trabalhador pode enfrentar, em Itamaraju a situação pode ser mais dolorosa, porque a demissão vem acompanhada do sacrifício para receber o seguro-desemprego. Durante a noite desta segunda-feira, 26 de janeiro, denúncias de um internauta levou a imprensa local a conferir a situação de um grupo com mais de 10 trabalhadores que se posicionavam em frente ao posto do Sistema Nacional de Emprego (Sine) do Ministério do Trabalho. Eles passaram a noite no local, na tentativa de adquirir uma das 10 fichas para solicitar o benefício no dia seguinte. Alguns relataram ter visitado o Sine por mais de uma vez, mas não conseguiram atendimento, já que segundo os funcionários, o sistema estava fora do ar e, também, não havia profissionais suficientes para atender a demanda de serviços oferecidos no sistema. Para conseguir atendimento, muitos ficam até 20 horas na fila, sem ter a garantia de ser atendido. “É a terceira vez que venho. Na última, cheguei aqui às 8 da noite e não consegui. Como só dão 10 senhas, só quem chegou pela tarde conseguiu. É horrível, mas tenho contas para pagar. Aqui dormimos sobre o papel e sem condições alguma”, comentou um trabalhador. Fila do Sac em Teixeira de Freitas Em Teixeira de Freitas a situação não é muito diferente. Os usuários do SAC costumam ficar horas na fila à espera de atendimento. Muitas vezes é preciso chegar na madrugada. Em uma matéria feita no início de janeiro, nossa equipe conversou com um usuário que não quis se identificar, um morador de Cachoeira do Mato, que afirmou ter saído de casa durante a madrugada levando um cobertor para ir aguardar na fila do SAC, quando chegou no local, já tinha muita gente, “tinha pessoas que estavam na fila desde a noite anterior aguardando o atendimento”, relatou. Segundo informações obtidas pela reportagem, isso vem acontecendo com frequência, pois o órgão público não atende somente pessoas de Teixeira de Freitas, mas também de cidades e distritos vizinhos. A demanda é muito grande e muitas vezes em um único dia os usuários não conseguem resolver suas questões pendentes. Em dezembro do ano passado o Sulbahianews tentou fazer uma matéria sobre o caso e encaminhou, por meio de e-mail, uma pauta para o setor de comunicação do SAC, em Salvador, mas até hoje os questionamentos não foram respondidos. SULBAHIANEWS/

Notícia Postada em 27/01/2015
Comente esta notícia: