Ex-vereador Juarez Borges São Leão lança seu primeiro livro em Itanhém

 

Por Itanhemfest

O ex-vereador Juarez Borges São Leão lançou na noite do último sábado (18/5), na Casa da Cultura de Itanhém, seu primeiro livro “Os Filhos do Estado ‘e o DNA da Sociedade’”, que sai pela editora paulista Baraúna. Familiares, amigos, admiradores e autoridades dos mais diversos segmentos sociais compareceram para prestigiar o membro mais ilustre dos São Leão, clã que fez e continua fazendo história no povoado do Curvelo da Conceição, no município de Itanhém.

O prefeito Milton Ferreira Guimarães, o Bentivi, e a primeira-dama Lidiane Guimarães, o ex-prefeito Oséas Moreira, o ex-vice prefeito Alfim Nascimento, os vereadores Bel Sena, Dr. Luiz Barbosa (acompanhado da esposa e médica Denise Eloah), Webert Caires e Audrey Correia, o tenente-coronel Irineu Ferreira, os advogados Gean Prates e Vadey Ferreira, o poeta A. Zarfeg, o jornalista Edelvânio Pinheiro, o artista Airam Ribeiro, os empresários Jurandir Caires e Lendebergue Ferreira, o diretor de Cultura de Itanhém, Políbio José, e secretário de Administração de Itanhém, Beto Correia, compareceram à Casa da Cultura. O lançamento do livro foi precedido por um momento de apresentação em que fizeram uso da palavra o diretor de Cultura, o prefeito e o autor. Em seguida, houve a sessão de autógrafos bastante movimentada com o autor sendo cumprimentado e solicitado para fotos. Paralelamente ao lançamento, aconteceu o coquetel de que todos se serviram à vontade. “Os Filhos do Estado ‘e o DNA da Sociedade’” é um calhamaço de quase 500 páginas em que, em oito capítulos, em forma de ensaio, o autor discorre sobre a sociedade e, também, o papel do Estado diante das demandas do povo, enfim, do cidadão brasileiro.


Juarez São Leão, A. Zarfeg, Prefeito Bemtivi e Primeira Dama Lidiane

Escrevendo na primeira pessoa, o ex-vereador e produtor rural Juarez Borges expõe uma série de argumentos sobre o que entende por sociedade e Estado. São opiniões bem pessoais que não têm como base nenhum pensador em especial ou teoria específica. Na verdade, o livro é mais fruto da filosofia de vida do autor e de sua militância comunitária e política no município de Itanhém.

Afinal de Contas, Juarez Borges se elegeu vereador pela primeira vez em 1992, pelo PT, e conseguiu se reeleger para mais três mandatos, em 1996, 2000 e 2008, pelo PP. Além disso, foi secretário municipal de Agricultura durante uma das administrações do ex-prefeito Neco Batista, se envolveu diretamente com a comunidade local, sobretudo com o segmento rural, se alfabetizou, fez supletivo e chegou a iniciar dois cursos superiores: Direito e História.


Juarez, jornalista Edelvânio Pinheiro e sua filha

Outro grande feito do casal Juarez e dona Neldite foi formar as duas filhas em cursos superiores na área de saúde, o que constitui uma conquista e tanto. “O livro de Juarez é uma tentativa bem livre e pessoal de entender o papel do Estado que, de um lado, precisa cuidar do povo oferecendo o mínimo em termos de qualidade de vida; e, do outro, compreender a missão da sociedade que é a razão de ser da instituição estatal”, afirmou Zarfeg. Ainda segundo Zarfeg, o livro é um desabafo feito por alguém que, em certo momento, sentiu na pele o descaso, a falta de proteção e a injustiça do mesmo Estado que, em princípio, existe para proteger e cuidar de todos. “Enfim, trata-se de um trabalho de fôlego que precisa ser lido e valorizado. Mas, por outro lado, traz as imperfeições próprias de toda primeira publicação dessa dimensão”, concluiu o poeta e jornalista.

Notícia Postada em 20/05/2013
Comente esta notícia: