Às mulheres, especialmente a você...

 

Por A. Zarfeg Que labuta de sol a sol, lua a lua nas enormes plantações de delicadeza, amores-perfeitos, bem-querência, sempre-vivas e sensibilidade a perder de vista... Que é linda de morrer, mas nos mata de paixão, cuidados desmedidos, encrencas homéricas... por favor, nos permita um pouco dessa lindeza apetitosa! Você que é sinônimo de abnegação, doação, partilha, caridade, reciprocidade, afeto, não necessariamente nessa ordem. Que ama e, de tanto amar, se torna o objeto da gula amorosa de gregos e baianos, troianos e mineiros... Que consola, participa, compete, sai na frente, chega a tempo (não obrigatoriamente em 1º lugar), cai e se levanta, domina e se deixa dominar, se enamora e atiça esse veneno bom nas veias da gente! Você que cuida de filho, marido, namorado ou amante, segredos e projetos, sons e sombras, nuvens e brisas... Que se envolve com as coisas (quem não arrisca não petisca), mãe, rainha, senhora dos nossos des(a)tinos! Que vai e volta, protege e processa, cria e educa, canta e cativa à sua volta... Você que é frágil e fêmea, fértil e forte, mas, sobretudo, fonte inesgotável de querer e poder, beleza e sabedoria. Que é tentação saudável e, ao mesmo tempo, quietude revigorante... Que é ouro, prata, pedra preciosa, ímã, rima, cadê a maçã que estava aqui, my god? A você, nesta data internacional e para todo o sempre, nossos parabéns e votos para que continue assim, simplesmente m-u-l-h-e-r, e estamos acordados!

Notícia Postada em 08/03/2012
Comente esta notícia: